Edições anteriores › 09/04/2019

Novidade em nosso visual

A Associação Thomas Merton Brasil está de cara nova1!

Sai de cena o “mongezinho” silencioso e introspectivo, rabiscado pelo próprio Merton, que não conseguia “explicar para ninguém a angústia que é desfrutar da perda que é possuir o Senhor2, destino de todo aquele que procura verdadeiramente a Deus3.

Desta vez com uma “pegada” jovem: a logomarca se propõe a dialogar com as novas gerações.

Nossa pátria possui o maior rebanho católico do planeta, chegando aos 10%. A fé, dom de Deus, foi derramada abundantemente nesta terra de Santa Cruz, onde habitam pessoas capazes de Deus; e nossos jovens são os atuais protagonistas, tendo o reconhecimento de seu Pontífice: “Cristo vive: é Ele a nossa esperança e a mais bela juventude deste mundo! Tudo o que toca torna-se jovem, fica novo, enche-se de vida. Por isso as primeiras palavras, que quero dirigir a cada jovem cristão, são estas: Ele vive e quer-te vivo!”4

Tal inclinação faz do Brasil o país que mais abraçou os escritos de um jovem neoconverso que se fez trapista na metade do século passado – época de repressão, conflitos raciais e posturas ditatoriais, mas também de efervescências vocacionais. Atualmente, em nosso meio, presenciamos a redescoberta daquela voz que nem o isolamento do claustro nem a rigidez de uma Regra milenar conseguiu calar. Merton também “vive” no nosso hoje e quer “falar” ao jovem no seu agora.

Sua face iluminada pelo signo da Cruz é a definição visual para uma de suas mais ardentes orações: “Tua claridade é minha escuridão”5. A sombra desta Luz revela contornos de um riso sutil de quem foi forjado na liberdade da solidão, que passou pela noite escura da alma e, ascendendo à verdade, conquistou a legitimidade para empunhar o estandarte da compaixão. Uma vitalidade espiritual que denota “a imensa alegria de ser humano, de pertencer a uma espécie na qual o próprio Deus se encarnou”.6

O retrato de Thomas Merton escolhido para dar identidade visual a ATMB é de Sibylle Akers (1905-2005), fotógrafa alemã que deixou seu país após a II Guerra Mundial para fixar morada no Texas. Visitou Gethsemani em setembro de 1959 e encontrou um Father Louis ainda garotão, na flor dos seus 44 anos de idade, mas já mundialmente famoso pelo sucesso editorial. Aqui no Brasil a Martins Fontes reconheceu a qualidade estética da foto e lançou 3 livros com a imagem em suas capas: Amor e Vida e A sabedoria do deserto (2004), e A experiência interior (2007).

O discreto ASSOCIAÇÃO, em cinza, foi o termo juridicamente adequado – e consensualmente escolhido entre os envolvidos na redação do Estatuto7 – para nossa entidade diante da impossibilidade de continuar como “Sociedade” dos Amigos Fraternos de Thomas Merton, dada sua finalidade não comercial.

As iniciais de “T” e “M” dão forma a sua face. O nome THOMAS MERTON, em especial destaque, possui uma potência estritamente conexa com aquele que o carrega, fazendo-se conhecer em toda sua essência. Quando pronunciado, faz-se o eco: a energia deste nome causa instantânea simbiose naqueles que também buscam a pureza de coração, lutam contra seus egoísmos, e desejam pertencer totalmente a Cristo.

Por tudo isso, e em celebração pelos bons ventos soprados nesta nova direção – capitaneada pelo sempre alerta Carlos Ferraz – a Associação Thomas Merton Brasil se coloca numa postura de reinvenção de suas atividades, mantendo diante dos olhos seus objetivos, e buscando uma atuação profissional sem perder o espírito de sua gênese.


Sabemos que seguimos nossa vocação quando a nossa alma se vê livre de toda a preocupação consigo mesma e é capaz de procurar a Deus até encontrá-lo, embora possa parecer que não o acha. Gratidão, confiança e liberdade interior, eis os sinais de que achamos a nossa vocação e vivemos de conformidade com ela, ainda que o resto possa parecer que falhou.

– Thomas Merton


1 Ocasião que coincide com a definição dos rostos que passam a compor a Diretoria Executiva de nossa Associação, que aqui anunciamos sem alarde: Carlos Ferraz (presidente), Cristóvão Júnior (vice), Vanessa Guimarães (secretária) e Rodrigo Antonio (tesoureiro)

2 Diálogos com o silêncio (Fissus, 2003), pág. 15

3 Regra de São Bento 58, 7

4 Assim começa a Exortação Apostólica pós-sinodal “Christus vivit” do papa Francisco, assinada no último 25 de março de 2019, na Santa Casa de Loreto, e dirigida “aos jovens e a todo o povo de Deus”.

5 (…) Eu não conheço nada de Ti e por mim mesmo nem posso imaginar como fazer para Te conhecer. Se eu Te imaginar, estarei errado. Se Te compreender, estarei enganado. Se ficar consciente e certo que Te conheço, serei louco. A escuridão me basta. Thomas Merton. Diálogos com o silêncio. Orações & desenhos. Rio de Janeiro: Fissus, 2003, p. 5

6 Reflexões de um espectador culpado, (Editora Vozes, Petrópolis), 1970. p. 181

7 A defesa da terminologia “Associação” mais enfática e (ma)terna veio da entusiasmada “mãezona” Amália Ruth.

2 Comentários para “Novidade em nosso visual”

  1. José Armando Pereira da Silva disse:

    Gostei do novo logo da Associação.

  2. Rogério Ratti disse:

    Também gostei do novo logo da associação

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.