Livros › 09/12/2016

Que são estas chagas?

Vida da mística cisterciense Lutgarda de Aywiéres “Estudando a vida de Santa Lutgarda, Thomas Merton nos dá, nete livro, bem traduzido pelas religiosas da Companhia da virgem, alguma coisa do muito que ainda há de nos dar com a graça de Deus, sobre a sua própria experiência da vida contemplativa. Uma vida, como a dele, mais do qualquer outra — e não há vida alguma, por mais obscura que seja, que não tenha um sentido na Comunhão dos Santos ou na Comunhão dos Anjos Decaídos — uma vida como a de Thomas Merton, representa, sem dúvida, uma intenção toda especial da Divina Providência. Nascer, no centro da civilização mais ativa do mundo moderno, um homem que venha dar o testemunho mais precioso da primazia da vida contemplativa e da sua conjunção natural como a vida ativa, no sentido autentico do termo, é realmente uma prova do que a Providência quer de nós outros, nesta vigília do século XXI.

A vida interior não está em contradição com a vida exterior. Mas é, por natureza, superior a ela, como a vida racional é superior à vida vegetativa, que de modo algum contradiz. A vida cristão, como a regra de S. Bento o diz na fórmula perene — Ora et Labora — é uma superação de ambos, na vida sobrenatural que deve impregnar toda a nossa existência natural.

O princípio dominante da nossa vida interior, podemos encontrá-lo naquela palavra com que Nosso Senhor respondeu à queixa de Marta: “Maria optimam partem elegit” (Lc 10,42). O princípio dominante da nossa vida exterior seria o daquela outra resposta do Mestre à capciosa objeção com que o queriam intrigar com o Imperador: “Reddite ergo quae sunt Caesaris Caesari et quae sunt Dei, Deo” (Mt 22, 21) São esses os dois fundamentos em que sempre quisera assentar as duas dimensões de nossa vida, para dentro de nós mesmos e para o mundo que nos cerca. E essas duas dimensões subordinadas à dimensão terceira e transcendental que harmoniza as duas, em nome da unidade que lhe dá sentido e fim: a união com Deus.

Introdução de Alceu Amoroso Lima. Tradução das Religiosas da Companhia da Virgem

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.