Blog › 02/06/2018

A Trapa Feminina de Nossa Senhora de Boa Vista

Durante a celebração eucarística da solenidade da Anunciação do Senhor (9 de abril) a comunidade trapista de Nossa Senhora de Boa Vista foi elevada de estado de Fundação (dependente da casa-mãe) para o de Priorado autônomo. Portanto, as Irmãs tiveram a graça de unir suas vozes à de Maria no evangelho, e com ela dizer a Deus: “Eis-me aqui, Senhor: faça-se em mim segundo a Tua palavra” (Lc 1, 38).

Com a Autonomia, as Irmãs passam a professar os votos monásticos para o próprio mosteiro, e a comunidade é agora capaz de eleger sua Prioresa e tomar suas próprias decisões com respeito à condução da comunidade.

Durante anos, o mosteiro de Nossa Senhora de Quilvo (Chile) sonhou com a possibilidade de fazer uma fundação no Brasil, e algumas jovens brasileiras ingressaram naquela comunidade com a esperança de que, pela graça de Deus, esse projeto se concretizaria. E os Irmãos do mosteiro de Nossa Senhora do Novo Mundo alimentavam, também eles, a esperança de poder acolher as Irmãs e assim ter uma Trapa feminina em nosso país.

Origem

Fundado em 1981, o Mosteiro Trapista nasceu como um convento simples em 25 de março de 1988. Tornou-se Priorado em 25 de março de 1994, e Abadia em 1998. Está situado na cidade de Curicó, aos pés da Cordilheira dos Andes

Mosteiro Nossa Senhora de Quilvo (Chile)

Em fevereiro de 2008, no dia da memória de Nossa Senhora de Lourdes, uma graça especial concedida pela Mãe de Deus foi, para as Irmãs, um sinal de que o momento de iniciar a Fundação havia chegado.

As irmãs fundadoras desembarcaram no Brasil em 2010 e se estabeleceram em Rio Negrinho, Santa Catarina. Em 2013 elas se mudaram para o novo mosteiro, que estava ainda em construção; na capela provisória (onde seria futuramente a biblioteca) foi celebrada a primeira missa neste mosteiro. A igreja conventual ficou pronta em 2015, e a primeira missa foi lá celebrada no dia 24 de setembro, festa de Nossa Senhora da Misericórdia, presidida pelo abade D. Bernardo com a presença de toda a comunidade de Novo Mundo.

Desde o início da Fundação, duas jovens brasileiras completaram sua formação monástica e emitiram os votos solenes. Atualmente, além das professas solenes a comunidade conta com uma noviça, uma postulante e duas aspirantes.

A missa de Elevação a Priorado foi presidida por D. Francisco Carlos Bach, bispo de Joinville. D. Bernardo Bonowitz pregou a homilia sobre o significado espiritual da elevação à autonomia canônica.

Durante a cerimônia, as oito professas solenes da comunidade transferiram seu voto de estabilidade (perseverar no mosteiro de sua profissão, até a morte) para o novo mosteiro. Com isso, estas Irmãs generosamente assumiram o compromisso total e vitalício para com a edificação e o crescimento desta comunidade. Manifestaram assim sua confiança em cada uma de suas irmãs, formando entre si um vínculo firme e permanente.

A comunidade de Nossa Senhora de Boa Vista, e cada comunidade monástica, é uma continuação viva da comunidade dos Atos dos Apóstolos: um só coração e uma só alma, unidos para escutar e colocar em prática a Palavra de Deus, tendo tudo em comum, vivendo uma nova vida na ressurreição de Jesus Cristo.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.